Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

Aurora Madaleno2

Aurora Madaleno2

17
Mai22

Mãe

Aurora Madaleno

Mãe

 

Mãe é o maior tesouro

Que qualquer filho tem;

É a paz, é a luz da Lar;

É o sol que dá calor,

Beleza, vida e amor.

 

Mãe é o anjo da guarda

Que conduz o seu filhinho

Pelo recto e bom caminho,

Que o guia na vida inteira.

 

Todo o filho que se preza

De ser bom p’ra sua mãe

Evita-lhe o sofrimento.

 

Filho, ama a tua mãe,

Corresponde ao seu carinho,

Reza por ela ao Senhor

E à Virgem Santa Maria

Que é mais pura que o luar,

Que é a Mãe do Salvador

E a mãe das nossas mães.

 

Aurora Martins Madaleno

9 de Dezembro de 1957

17
Mai22

Guarda

Aurora Madaleno

Guarda 

 

Erguida num monte da Serra da Estrela,

A Guarda sonhadora e como que encantada

Empresta mais graça e dá mais formosura

À Natureza em seu redor implantada

 

Tem por mirante o velho Castelo,

Onde os estudantes vão beber a paisagem;

Então conta-lhes baixinho a sua história

Que eles escutam  em tão rouca linguagem.

 

Embora cidade modesta, é grandiosa

E há na velha Guarda belezas sem par.

São opulentas as torres da Catedral

E sem igual o som das guitarras ao luar.

 

Aurora Martins Madaleno

21 de Novembro de 1957

 

12
Mai22

Desgarrada

Aurora Madaleno

Desgarrada   

 

 

Meninas cantai cantai

Pois fica-vos muito bem

Quem canta seu mal espanta

Eu vou a cantar também

 

Eu vou a cantar também

Vou cantar à desgarrada

Saia lá minha menina

Com a garganta afinada

 

Com a garganta afinada

Pronta a medir-me contigo

Tu nunca me vencerás

Mas derrotar-te eu consigo

 

Derrotar-me não consegues

Nem tentes lá, ó menina,

Sempre que abres a boca

Não sei a que se destina

 

Destina-se isso sei eu

A amansar tua vaidade

Não digas tu que és bonita

Com a mesma liberdade

 

Com a mesma liberdade

P'ra cantar me ofereci

Agora vou acabar

Já não posso estar aqui

 

Não podes estar aqui

Já tens de te ir embora

Vais ter com o teu amor

Que te espera a esta hora.

 

Que me espera a esta hora

Meu amor espera sempre

E cantem todos comigo

Cante alegre toda a gente.

 

Acabou a desgarrada

Agradeço o teu presente,

Gostei de cantar contigo

E parto daqui contente.

 

Aurora Martins Madaleno

1970 

12
Mai22

Sentada em teus degraus

Aurora Madaleno

Sentada em teus degraus

 

Sentada em teus degraus

Olhei-te minha, vivi...

Deitada em teu berço,

Embalada adormeci...

 

Fora eu alada

E ficaria presa.

Dentro de teus braços

Para mim nada mais resta.

 

Sonho e poesia és tu

Beleza, ideal, tudo enfim...

Como ir-me, se fico

Ficar como, para que vim?

 

Não sei onde vão meus ais,

Quem os ouve e não despreza.

Porque vivo sem te ver,

Minha vida é sem beleza.

 

Aurora Martins Madaleno 

1970 

 

12
Mai22

Ideal

Aurora Madaleno

Ideal 

 

Ai, virá algum dia

Em que todos, irmãos,

Amaremos só a Cristo

E daremos as mãos,

Na luta pelo Ideal!

 

Não sei bem onde tu queres ir

Com a pressa que vais;

Depois d’hoje, outro dia virá,

E outros, muitos mais.

Mas, se vais sem amor,

Virás depois a cair.

 

Ai, anda vem comigo

A outros chamar!

Vamos por todas as terras

O amor espalhar;

Depois, seremos felizes!

 

Lutando pela paz, pela Cruz,

Ai como é bom viver!

Todo o homem precisa de amar,

Para o mal esquecer.

Que bom viver será

Amando em todos Jesus!

 

Ai, virá algum dia

Em que todos, irmãos,

Amaremos só a Cristo

E daremos as mãos,

Na luta pelo Ideal!

 

Aurora Martins Madaleno

1970 

12
Mai22

Encontro

Aurora Madaleno

Encontro

 

Coro

Se és jovem

Não fiques parado

Vem pró nosso lado

Viver com Amor

Se tens coração e ternura

Lança-te à aventura

Dum mundo melhor.

Se és jovem não fiques parado

Vem pró nosso lado

Que é bela esta lida

O nosso Encontro Missionário

Sempre alegre e vário

Só ele nos dá vida

 

Reina entusiasmo e alegria

Reina a simpatia

E o bom humor!

Há nos corações a palpitar

Um forte vibrar

De Amor muito Amor

Toda esta paixão

Que em nós se agita

Que canta e que grita

Com fogo e calor

Vem-nos do Encontro Missionário

Revolucionário

Dum mundo melhor.

 

Aurora Martins Madaleno

1970

12
Mai22

Ser feliz

Aurora Madaleno

Ser feliz 

 

 

Vem daí

Vem para sorrir

E ao abrir os braços

Sentirás

Que o mundo é para ti

Podes crer

Que ao sentir a paz

O amor virá

E serás sempre feliz

 

Ser feliz

É viver contente

Dar as mãos e ver

Que nunca estamos sós

Ser feliz

É dar o que temos

Viver o que somos

Em amor e fé

Ser feliz

É saber cantar

É viver sorrindo

Sem fazer chorar

Ser feliz

É ambição é sonho

Nosso belo sonho é

Ser feliz

 

Escuta irmão

Tu que vives só

E sentes a dor

Do mundo que procura a paz

Ouve bem

O grito de amor

Que é o belo sonho

De quem te quer

Sempre feliz

 

Ser feliz …

 

Aurora Martins Madaleno

1969

12
Mai22

Venho da Serra da Estrela

Aurora Madaleno

Venho da Serra da Estrela

 

Venho da Serra da Estrela

De apanhar o sabugueiro

Gosto muito de dançar

Mas é com rapaz solteiro

 

Estribilho

Ó rama ó que linda rama

Ó rama da oliveira

Gosto muito de dançar

Mas é à minha maneira

 

Venho da Serra da Estrela

De apanhar apanhar bem

Gosto muito de dançar

Mas é com quem dança bem

 

(estribilho)

 

Venho da Serra da Estrela

De apanhar a orvalhada

Gosto muito de dançar

Mas é com a minha amada.

(estribilho)

 

Aurora Martins Madaleno 

24 de Agosto de 1968

12
Mai22

Férias da professora

Aurora Madaleno

Férias da professora 

 

 

Depois de um ano agitado que passei

Numa escola dessas terras pobrezinhas,

Onde a candura e graça

Transparece, a cada passo,

Da alma daquelas lindas criancinhas...

 

Almas que o amor embala,

Coro lindo, lindo, lindo,

De vozes harmoniosas, um encanto,

Cada qual o coração vai alegrando

E o bom Jesus vai sorrindo...

 

Procurei aliviar minhas canseiras,

Descansar nestas férias merecidas,

Numa praia, numa serra,

Entre o céu azul e o mar

Sereno ou de ondas brancas retorcidas;

 

Ir a Braga ver o Monte

Monte lindo, lindo, lindo,

Onde tudo é sonho, cor e poesia;

Ver amigos e aprender cada vez mais

Como é bom viver sorrindo!

 

E, de regresso à minha velha escola,

Volto os olhos ao tempo que passou.

Nem a saudade destrói

A colheita de verdade

No bom tempo que depressa se acabou.

 

Então olho as crianças,

Grupo lindo, lindo, lindo,

De olhitos curiosos e tão vivos!

Anseiam, decerto, luz do coração,

Coração que vai sorrindo.

 

Aurora Martins Madaleno 

24 de Agosto de 1968

Mais sobre mim

Subscrever por e-mail

A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.

Arquivo

  1. 2022
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D
  14. 2021
  15. J
  16. F
  17. M
  18. A
  19. M
  20. J
  21. J
  22. A
  23. S
  24. O
  25. N
  26. D
  27. 2020
  28. J
  29. F
  30. M
  31. A
  32. M
  33. J
  34. J
  35. A
  36. S
  37. O
  38. N
  39. D
Em destaque no SAPO Blogs
pub